Inhotim = Paraíso?

Voltamos com a programação mineira, mas tem tudo a ver com o post anterior, arte contemporânea por todos os lados mas ao invés da moldura para elas ser uma construção abandonada é a exuberância da natureza. 

Visitei o Instituto Inhotim na minha ida a Minas Gerais e é simplesmente fantástico. Inhotim possuí um acervo incrível de obras de arte contemporânea, foi idealizado por um empresário mineiro, Bernardo de Mello Paz na década de 80. E além de toda a infinidade artística ainda conta com uma coleção botânica. O local fica em Brumadinho, cerca de 1 hora e pouco de Belo Horizonte (não tenho muita noção porque erramos um pouquinho o caminho rs).

A área é enorme e quando chegamos, o atendente nos disse que para apreciar tudo com a devida atenção, eles recomendam visitas em dois ou três dias. Ficamos lá apenas a metade de 1 dia, mas vimos bastante coisa, a parte do tour do mapa que eles recomendam fazer a pé, os caminhos mais distantes eles disponibilizam carrinhos (tipo de golfe) para facilitar, mas como tínhamos pouco tempo resolvemos nos manter nas rotas mais próximas.

Lá é lindo, natureza e arte se completam e ainda tem a arquitetura dos pavilhões que abrigam as obras, contribuem ainda mais para a harmonia dos espaços. O pavilhão da Adriana Varejão é sem dúvida um dos mais belos, mas nada lá pode ser chamado de feio... talvez estranho ou inusitado, até excêntrico cabe muito bem também... mas nunca feio. Não podia tirar fotos das obras dentro dos pavilhões =( ... então aqui vai um pouquinho da natureza abundante e da arquitetura precisa.

Aqui dá pra ver o mapa, nós visitamos todo o circuito rosa e amarelo e do laranja apenas um pedacinho da Galeria G7. Fiquei com uma vontade de quero mais... quem sabe uma próxima.

Em breve minha última parada em Minas... Ouro Preto.